A Verdade sobre Dilma Russef


O que está por traz das afirmações de que a Presidenta Dilma é assassina ou ladra. Notícias veiculadas  ora por mensagens de correio eletrônico (e-mail),  ora pelas revistas semanas.

Para explicar essas informações para as pessoas simples, mas que estão, pela primeira vez nesse país, tendo acesso a informações fora dos grandes jornais de direito, vamos elaborar esse texto.

1 - O que é um pensamento de Direita?


No Brasil a direita constitui a representação política dos ricos. Os ricos do Brasil são muito diferentes dos ricos dos EUA ou da Europa. Ser rico Brasil é estar ligado à uma Família que tem vínculo diretos da época da escravidão.
São raros os ricos por aqui que não tem essa ligação. Eles existem, em São Paulo, por exemplo, podemos encontrar vários descendente de Italiano que vieram pobre para essas terras e como comerciante conseguiram ficar ricos.  A família Matarazzo e uma delas. O senador Suplicy é um deles. Ainda em São Paulo, podemos encontrar filhos de nordestinos que seguiram o mesmo caminho dos Italianos e são mais recentes.
Mas em São Paulo têm outro tipo de rico, os que eram donos de Fazendas de Café. Exploravam a mão de obra escrava. Esses fazendeiros queriam escravizar os Italianos, mas o “napolitanos” não aceitaram. Fugiram das fazendas e vieram para onde hoje é a Mooca.  
Esses ricos estão presentes em serviços como “O Estadão”, “Folha de São Paulo”, Editora Abril, e por aí vai.
Eles tem um jeito de ser rico diferentes de vários outros ricos. Eles pensam que são ricos por serem melhores. Eles pensam que nasceram melhores ou foram escolhidos por Deus. Desse modo ninguém pode ser rico, além deles. Eles preferem que todos fiquem na miséria, e eles no “bem bom”. É igual o Sarney no Maranhão. Todo o Estado é uma miséria só. Quem quer fazer alguma coisa tem de sair de lá, pois por lá tudo é difícil. Não tem médico, escola de qualidade. Porém, o Sarney quando passa mau para onde ele vem se cuidar?
O que mais nos assusta na Bahia, no Piauí(Estado mais pobre do Brasil) é que lá tem gente muito rica. Com avião particular. Enfim, essa é a Direita no Brasil.
2 – O que é a esquerda no Brasil.

A esquerda no Brasil é feita de trabalhador e poucos ricos, aqueles que um dia foram trabalhadores. A primeira luta desses políticos era trabalhar e ainda ter tempo para cuidar de política e dos interesses de quem trabalha.
O rico tem todo tempo do mundo para fazer reuniões, montar partido político.
O pobre tem que trabalhar e ainda arrumar tempo para “lutar” pelos interesses dele. Se a rua do pobre não tem luz ou asfalto ele tem que reivindicar. Mas em que horário ele pode fazer isso? Em São Paulo, por exemplo, o pobre gastar em média 3horas e meia por dia só no trânsito. Então, em que horário ele poderá cuidar dos filhos dele? Da rua? Da casa dele?
A primeira acusação que a Direita faz contra os representantes do povo é de que eles são “vagabundos”. Mas “pera aí”! O rico quando cuida dos interesses dele não é vagabundo, mas quando o pobre faz, ele é chamado de vagabundo. Tem algo errado aí.
É nesse contexto que a Dilma é chamada de ladra, mas precisamos falar um pouco mais sobre a esquerda.
Entre os representantes da esquerda tem gente que pode não representar o povo. Falsos representantes ou até mesmo ladrão se passando por político. É preciso prender quem o juiz assim julgar, pois ser representante do povo não pode significar estar licenciado para “matar”.
A direita “adora” pegar esses exemplos e associá-los à própria esquerda, ou seja, eles pegam um político corrupto de esquerda e tentam dizer que qualquer trabalhador que quiser pedir seus direitos é um ladrão. Como eles têm tempo e dinheiro; são donos de jornais e revistas, divulgam isso das formas mais discretas possíveis.
Enfim, esses e-mail que falam da Dilma como ladra é um exemplo.

3 – Revolução e Roubo. Qual a diferença entre essas duas palavras?

Revolução é quando uma sociedade inteira quer mudar toda a organização social em que estão. Atualmente estamos vendo isso no Égito, Líbia, Iêmem, Túnia, entre outros países árabes. Roubo é quando alguém ou um pequeno grupo “toma” aquilo que o outro trabalha duro para conseguir.
A revolução mais famosa que temos notícia é a Revolução Francesa. Na França as pessoas não agüentavam mais serem pobres ou consideradas de segunda classe. A França de 1700 nos lembra o Maranhão de hoje.
Enfim, os pobres e alguns ricos mataram toda a Família Real e seus ajudantes. Estabeleceram o modelo de governo que conhecemos hoje como Democracia.
O Modelo Democrático prometia tudo aquilo que os Reis tirava do Povo.
Porém, depois 250 anos, as coisas mudaram. E notamos que no regime Democrático existiam situações de muita miséria. Nas fabricas de tecido na Inglaterra as condições de vida eram terríveis. No Brasil da década de 20 e 30 as condições dos trabalhadores Italianos em São Paulo eram degradantes.
            A democracia surgiu após matar os Reis da França. A guilhotina foi inventada por esses “democratas”, pois era mais ágil no serviço de matar. Enfim, surgiram pessoas que não aceitavam tudo isso. Notaram que estavam “roubando” o povo. Não era uma revolução, mas uma forma de continuar a “tomar” tudo que a maioria tinha em beneficio de uns poucos.
            Esses indivíduos começaram a ficar mais nervosos depois que um escritor alemão de ascendência judaica propôs uma revolução comunista. Na verdade ele escreveu sobre o Capitalismo. Ele revelou todo os segredos dos capitalistas e que eram muito simples: “o capitalismo era uma forma de roubar”.
            Vejamos: “alguém trabalha e produz várias peças de roupa”. O dono manda alguém vender a mercadoria. No final, o dono paga o dinheiro do vendedor, do trabalhador, paga a quem lhe ‘vendeu o pano’ e fica com o resto. Mas quem produziu esse resto que ele ficou? O trabalhador. Portanto o proprietário é um ladrão. Pois tomou daquele que trabalhou e produziu; o trabalhador fica pobre; mora longe.
            No Brasil um grupo de pessoas procurou demonstrar a outra grande maioria que estava sendo roubada. Porém, os meios de mentir dos capitalistas são fortes e conseguem enganar a população. A primeira atitude de quem rouba é acabar com a Escola. Se possível deixar todos sem saber ler. Se não tiver jeito de deixar todos sem ler, eles deixam a Escola Pública chegar onde chegou; Não precisamos nem falar do que aconteceu no Rio de Janeiro.
            Quando esse grupo estava perto de dizer a verdade para toda a população do Brasil, em 1964, o grupo dos Ricos ficaram nervosos, pois afinal a grande mentira deles ia cair por terra. Tomaram o poder e passaram a lidar com o Brasil como se fosse uma coisa só deles. Como se fosse uma empresa.
            Quem insistisse em falar a Verdade morria. As escola pública foram ainda mais desqualificadas. Aliás, nessa época é que surgiram empresas particulares de Educação quem tem como propósito fazer da educação um negócio que dê muito dinheiro e serja só para ricos. Grupo Objetivo (unip), Promove, Positivo, entre vários outros.

5 – Os revolucionários.
Nessa época de década de 70 é que os grupos de esquerda quase foram extintos. Ser de esquerda era ser considerado bandido ou seja, se você dissesse que seu patrão ganhava com seu trabalho; se você fosse bom nisso, e todos as pessoas entendesse sua explicação; pronto: você era preso e torturado; morto; ou mandado para outro país.
            A única saída era você baixar a cabeça e aceitar ser “roubado” pelo patrão. Sem dignidade, sem escola para seus filhos, sem casa para morar. Você deveria aceitar tudo isso e ficar calado. Enquanto os ricos viajavam para a Europa, tinham as melhores roupas; os filhos estudavam em universidade da França ou dos EUA.
            Ser de “esquerda” nessa época era ser considerado bandido. Mas vamos pensar um pouco. Certamente havia bandido ou criminoso. Alguém que entrava na casa de alguém e matava ou no bar, após uma briga, dava várias facadas no outro. Ou aquele que roubava o carro de alguém para vender as peças. Tudo isso é bandido e ladrão.
            A Direita procura, mentindo é claro, dizer que os indivíduos de esquerda era o mesmo. A Direita, de propósito, diz que um traficante de cocaína é igual a um jovem que ensina os trabalhadores a escrever e ler nas fábricas. Ela iguala um professor de História que fala sobre a migração dos nordestinos e as injustiças do nordeste a um matador embriagado no bar.
            Aliás, o que a Direita mais faz é mentir, pois ela sempre precisou mentir. Esconder que ela ganha muito à custa da miséria do povo.
            Nesse contexto é que dizem que  a Presidenta Dilma é ladra. A Dilma trabalhou muito ensinando as pessoas a ler e escrever. Ensina para as pessoas a compreender como elas eram roubadas.
            Para custear algumas coisas, como comida e passagens alguns desses membros da Esquerda, não todos, adotaram expediente de “tomar do rico” algum dinheiro. Mas é claro, esse tomar do  rico é publicado em todos os jornais, que são dele, como roubo. O que eles fazem é justo, mas o que aqueles jovens guerrilheiros faziam em prol do povo não era justo.
            Entre esses jovens poderia ter um ou outro que se desviava dos propósitos de levar ao Povo as informações necessárias para compreender que precisava agir. Mas a grande maioria não era assim.  
            Podem acusar a Dilma de ladra ou guerrilheira; isso só comprova que ela conseguiu alertar os pobres de que é possível outra vida. Uma vida na qual quem trabalha pode ter dignidade. Pode ter uma casa para morar (Minha Casa Minha Vida), mesmo que os jornais de direita se “doem” de raiva.
            Nesses projetos do governo tem distorção? É claro que tem; e a  polícia tem que agir para poder garantir quem tem direito ter o direito.
            Não podem fazer como em São Paulo. O José Serra, de extrema direita, quando entrou na Prefeitura de São Paulo, acabou com o bilhete único. Um importante meio de locomoção do pobre. Ele disse que havia gente roubando, por isso acabou. Mentira. Ele notou que as empresas ganhariam mais com um bilhete sem integração. Arrumou uma desculpa para mentir.
            Não se acaba com um projeto social pelo fato de que ele tem pessoas roubando. Deve-se é prender o ladrão e não importa se ele é de Direita ou de Esquerda. Ladrão é ladrão.
            Mas para definir quem é ladrão não é simples. Por isso só o Juiz é que faz isso. Pois as informações podem estar distorcidas. Os jornais mentem, pois eles tem como função esconder a Verdade.
            Caba a você, leitor desse texto, decidir se o que dizem sobre a Dilma é verdade ou mentira. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Elle

Instrução de Companheiro Maçom

10 motivos para você não ser maçom