Xuxa e a pornografia




No texto sobre Indústria Cultural o filósofo Adorno se propôs pensar criticamente a cultura de seu tempo. Indústria cultural não é um termo isolado, mas é a forma contemporânea de produção da cultura.  A ideia de Indústria aplicada a cultura também é alusivo ao fato de que não só houve a "Revolução Industrial" nos modos de produção de bens (roupa, sapato, perfume, carros, carroças....)

O outro tema do texto é em que sentido a Xuxa, rainha dos baixinhos, é um exemplo muito importante dessa indústria entre nós Brasileiros.

Imagem do blog Mulheres e Homens bem resolvidos



Voltando ao texto de Adorno sobre a Indústria Cultural, para ele essa indústria é "pornográfica" e "puritana". Aparentemente os assuntos são opostos, mas podemos notar que eles andam juntos.

Nos finais de 80 e início de 90 a rainha dos baixinhos entrou em cena. Depois de atuar como "modelo", ela acabou "arrumando" um emprego (trampo) "maio dá hora", isto é, muito bem remunerada.

Vestindo-se com roupas curtas e ladeada pelas paquitas, Xuxa naturalizou a ideia:  "o que é bonito é para se mostrar", isto é, a "putificação" (termo do cantor Lobão) da mulher brasileira, começando quando ainda são crianças.

É claro que há um sutileza. Xuxa não é promotora da pedofilia na modalidade combatida pelo Datena, o arauto do cassa ao pedofilo e incentivador do Estado de excessão ou marcial, na medida que insinua que "bandido" deve "levar chumbo" e não julgado por um juiz/judiciário.

Retirado de http://barradascomunicacao.wordpress.com


Talvez a putificação seja mais subproduto, pois será injusto e calunioso dizer que Xuxa é promotora da pedofilia.  Xuxa nunca veiculou objetivamente algo do gênero; e mesma a pessoa dela não faria isso; seu filme pornográfico é outra história, outro contexto.

A questão a ser posta talvez seja  "em que medida aquelas suas roupas e paquitas não produziram efeitos colaterais?".  Toda a gestualidade das suas danças, todo o fetiche que se tornaram as "paquitas", com "colans"(um tipo de biquine e maiô), aquelas caças grudadas no corpo, mostrando toda a "sinuteta" do corpo feminino e, de certo modo agussando ainda mais os "púberes". Esse contexto, planejado por profissionais da comunicação e promovido por uma das maiores emissoras de televisão da época, a Rede Globo, não era mero acaso. Tinha como propósito impor no Brasil a cultura do consumo de massa. Era preciso associar a Xuxa a brinquedos, sapatinhos, batons, "banbolês"; o imperativo era consumir.

Esse assédio não havia encontrado institucionalmente uma resistência. A fundação do Instituto Alana é essa reação da sociedade civil organizada.  http://alana.org.br Uma instituição dedicada e com recursos financeiros para atuar juridicamente contra os assédios do consumo às crianças. Xuxa é comprovadamente assediadora de crianças para o consumo. Suas "sandalinhas de sautinho" para crianças de 6 anos de idade está interferindo objetivamente nas meninas da pré-escola. Elas não correm e brincam mais na hora do recreio; com saltinho não dá. As roupinhas semi-eróticas da Xuxa, da Eliane ( a dos dedinhos, com uma roupinha curta) é uma erotização das infância.

Xuxa portanto fez muito mau na medida em que serviu e foi o ponto visível de uma estratégia Indústrial: cria no Brasil rual uma mentalidade de consumidores de massa.

Xuxa não é cultura, é cultura de massa, fruto da Indústria Cultural. Ela é pornográfica no sentido de que a erotização é a forma mais eficiente de liberar o consumo, de fazer as pessoas desejarem e ter apetites da mesma ordem do sexo pelo novo celular ou o tênis mais da moda(na minha infância era o Nike).

Enquanto isso,  outra faceta da cultura de massa tem sua materialização nos jornais policiais. Cidade Alerta é um marco da outra face da cultura de massa, o puritanismo. Onde o bandido deve ser linchado, o bandido é o sanguinário; o pedofilo deve ser morto brutalmente, (apedrejamento, linchamento; violação do seu corpo para que ele possa pagar....)


Retirado da Wikipedia

O puritanismo também tem longa história. A narrativa é mais um boletim da delegacia e do pronto socorro. Aliás, quando peguemos os milhares de "jornalzinhos" pelo interior do Brasil, podemos observar claramente que os "amadores" de comunicação tem para si que jornal é narrar os boletins da policia local.


Para finalizar essa onda de puritanismo temos as Igrejas da Televisão. É padre "saradão" e pastores bonitões. Todos exaltando um bem estar que é travestido nas roupas bonitas, nas físico agradável, na eterna juventude. Entre eles Malafai é o baluarte da cassa aos homossexuais. Se arrogou o direito legislativo e quer transformar uma conquista em crime. É a face do facismo aliado a religião, coisa que dá calafrios, pois na base do nazismo, do facismo, etc.... são esses os elementos fundamentais para as barbaridades.



O que ninguém quer saber é que os puritanos são os maiores pornográficos.
Espera-se desses atores que eles possam repensar suas posições. Analisar em tempo e ver se as repercussões de suas ideias gera o que eles mesmos desejam. Ao contrários dos puritanos, não esperamos que sejam linchados, mas que sejam enquadrados dentro das invenções da democracia.








Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Elle

Instrução de Companheiro Maçom

10 motivos para você não ser maçom