Audiência: uma espiral descendente

Nietzsche no seu conceito de Tragédia Grega, oposta à Ópera de seu tempo, critica fortemente o fato de nas Óperas temos o seguinte. O autor e ator teriam que agradar o público. Para o pensador do bigode grande isso parecia uma aberração, pois como poderia um especialista se curvar ao público que nada sabia de arte?


Um blog também vive essa experiência. Quando você começa a escrever para ter audiência o que se verifica é que os temas que dão público nem sempre são os mais elaborados. Nesse desejo de ser visto pode-se até correr o risco de despersonalizar a sua proposta e passar a veicular um conjunto de bobeira do momento, mas que dá audiência em seu blog.

Esse blog teve e tem como estratégia apresentar a Filosofia nas suas várias facetas e de como ela pode estar presente em vários campos do saber.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Elle

Instrução de Companheiro Maçom

10 motivos para você não ser maçom