A corrupção diária: o lixeiro

É comum nas padarias comentarem de modo bem geral todos os tipos de assuntos. O futebol é o mais corrente e sobre o qual se tem bons adjetivos; no qual mesmo "adversários" conseguem tecer aquelas análises futebolísticas sem animosidades.

O segundo assunto é a política. Contudo nesse campo as coisas são bem diferentes. Não se vê propriamente alguém defendendo linhas políticas que a mídia escolheu para falar mau; O próprio jeito de falar da política já é problemático na medida em que não se faz o mesmo "debate" visto quando o tema é o futebol. Na padaria todos parecem ser de um partido, não há confronto de ideias políticas, tal confronto é apenas simulado nos times de futebol, um negócio privado e lucrativo.

No papo da política é que entre o lixeiro ou, prefiro, os trabalhadores da limpeza; já que se tem alguém que merece a alcunha de lixeiro somos nós, os que produzem o lixo e não quem o limpa.

Pois bem, o lixeiro é corrupto. Sim, ele pede "caixinha" para um amigo da Padaria, pois elegeu o lixo deles como sendo "industrial". O meu lixo de folhas, podas de flores, folhas de coqueiros, não pode ser levado por motivo que eu ainda desconheço.

Mas esse é a política da padaria. A que herdamos de 25 anos de governo ditatorial, no qual ficou gravado no fundo de nossas consciências que política ou o debate político é coisa de malandro, vagabundo, fora da Lei; comunista. O curioso é que nesse mesmo contexto de pretensa moralidade, assim os da TFP e seus derivados gostam de propalarem, temos o cinema da "pornochanchada" como também a ascensão de grandes empresas, que hoje tem-se comprovado seus métodos não ortodoxos em relacionarem-se com o Estado.

O lixeiro ou profissional da limpeza é fruto desse contexto. Certamente enquanto ele bebe o cafezinho na "padoca", está ali recebendo sua propina; seja o próprio café que sai na "faxa"(sic) ou, além do café, mais alguns trocados(no caso de um conhecido 40 reais por semana).

Já escrevi aqui que também os policiais investigativos(Policia Civil) também funcionam nesse esquema e que vão muito além. Tenho experiência de roubos que nunca foram investigados em minha propriedade; a história é jogar o BO para outra delegacia; que joga de volta...

Nesse cenário de funcionário da limpeza corrupto é que escutamos dizer todos os dias:  "Petistas ladrões, político é tudo igual(isto é, ladrões).









Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Elle

Instrução de Companheiro Maçom

10 motivos para você não ser maçom