Postagens

Mostrando postagens de Julho 7, 2015

#AécioGolpista

Na técnica do morde assopra, Aécio continua nos lugares de hábito espalhando sua campanha como bom golpista. Para além das paixões que movem os internautas, escondidos no anonimato, penso que tal político é demasiado irresponsável. E aposta na ignorância histórica de todos.

A questão é tentar utilizar a internet para além das barbaridades que assistimos; ao dizerem que o PT é ladrão não se passa disso. Encontrei alguém dizendo que o PT "deu" dinheiro para Cuba; enfim, em que base isso se firma? Creio que na mesma que Olavo de Carvalho utiliza para dizer sobre FARC e um tal Forúm de São Paulo.

Fico me perguntado se na época em que o PT era oposição a militância de esquerda era tão simplista e louca assim. Como já disse aqui, não gosto do José Serra, por motivos bem pontuais (entre vários, a mudança do bilhete único em janeiro/fevererio de 2005), mas jamais me sentir no direito de chamá-lo de ladrão "vagabundo", etc. Tais palavras jamais passaram por minha cabeça e …

#Aécionaoenosso Senadores estrangeiros!

Não falo do José Serra, mas de Aécio Neves e José Sarney. O velho lobo do Estado do Maranhão também foi Senador por 3 mandatos (1991 a 2015), mas não pelo Maranhão e sim pelo Estado do Amapá. Isso mesmo caros "sulistas". Nos últimos 23 anos José Sarney era Senador pelo Estado do Amapá. Isso que é uma colonização dentro da colônia.

Bem, o outro Senador "estrangeiro" é Aécio Neves. É de conhecimento público que seu apartamento de 12 milhões em Copacabana está sempre ocupado pelo ilustre. Sua vida se desenvolve por lá. Dizem que quando (des)governou Minas ela fazia o trajeto de helicoptéro+jatinho+helicoptéro; coisa rápida, ceca de 30 minutos estava no trabalho.

O malandro botava o "calçaozim" e ia tomar aquela brisa gostosa de Copacabana. Malandro.

#Aécio não é mineiro

Comprovado, Aécio quando (des)governava Minas morava no Rio. É um caso raro, mas todos sabiam que ele se locomovia do Rio para trabalhar em BH e voltava. (afirmação carece de fontes; talvez se alguém topar fazer uma delação; quem sabe Fernandinho Beira Mar?)

Por esse fato, quero iniciar uma campanha: "Aécio não é nosso, ele é Carioca." Enfim, não estamos desejando coisas ruins aos outros, mas é fato que ele vive no Rio desde pequeno.


A desvalorização do professor enquanto cultura popular

O Brasil vive hoje repercutindo muitas coisas mundiais. Não dá para fazermos afirmações sobre fenômenos sociais pensando que ele é só brasileiro. O bordão que diz “pais de m…” é uma mediocridade sob vários ângulos, sobretudo o de pensar que tal fenômeno seja só nosso.  É a globalização, especialmente dos problemas. Nesse sentido a figura do “professor”, especialmente do professor de educação básica, sofre diminuição e não é uma profissão almejada. Até quando lemos que lá na “Islândia, Filandia, Suécia, etc.” há maravilhas, penso que é preciso chegar as informações um pouco mais. Certamente comparando com o Brasil tudo fica mais amplificado, pois de fato temos uma base material desfavorável somada à base “auto-imagem” do brasileiro só poderemos ter resultados péssimos. 
Mas naqueles países, uma espécie de projeção do paraíso para os brasileiros, a história é diferente e por isso os quadros podem ser mais favoráveis à figura do professor. Aqui, e depois falo deles, temos uma experiência m…