Falsas Lojas Maçônicas!





Como entrar na maçonaria? 




Quando uma pessoa procura ser Maçom é sinal que ela está disposta. Para alguns, a busca tem origem psicológica, para outros financeira.

O importante dizer é que a maioria estão a procura de um lugar prazeroso e que promova a vida naquilo que ela tem de melhor. Considerando que a Maçonaria se funda na Filosofia Ocidental, um indivíduo propenso a uma vida acima da média, que só curte futebol e BBB, logo se identifica.

Corre-se o risco deste indivíduo, movido por uma vontade gigante de fazer parte de um grupo que vai acolhê-lo bem, ser ingênuo. Acredita, sem ressalva, em qualquer coisa que lhes dirão; e vai logo fornecendo documentos, entre outras coisas.

Pede-se que tenha cuidado. Uma Loja Regular ou Histórica irá fazer este processo com lentidão. O futuro candidato certamente irá conhecer pessoas físicas, será convidado a participar de atividades com pessoas de carne e osso, antes de ser iniciado. Irá até mesmo ver maçons fracassados do ponto de vista de poder e grana.

Quando a coisa ocorre rápido demais, quando forjam que você "foi selecionado", quando você clicou em um anúncio pago, fique atento. Você está sendo convidado para algo que não é Maçonaria Regular e que esse site prefere nomear como Lojas não-históricas e lembrar que elas tem lá seu Direito de serem perante o Ordenamento Jurídico.

Para aqueles que procuram dinheiro, estes até vão se dar bem. Encontraram seus pares.

Em São Paulo está cheio destes Maçons que pagam anúncio. Mas cuidado, eles são perigosos, na medida em que não jogam limpo e explique esse verdade aos convidados. Sorriem muito, mas quando você revelar o negócio deles, vão lhe ameaçar, no velho estilo da máfia. Alguns vão até blefar.

da Academia Maçônica de Filosofia.

Que não paga anúncio e não cobra por informações ou cursos e assume que não é nada além da fantasia da cabeça de um escritor professor.



P.S.: Certamente enquanto você estiver lendo este texto ao lado, na tela de seu computador, estará aparecendo anúncios de Loja Maçônicas. Com frases do tipo: seja maçom, etc. Pois bem, estes link's são pagos e se você clicar neles esse blog até ganhará alguns míseros centavos. Porém, fique atento, são Lojas que não pertencem a Potências(Organização) Maçônica Histórica (Regular). Em geral nos sites dessas "lojas" tudo é falso. As imagens das lojas que eles postam foram copiadas da internet. As Lojas pomposas, lindas do ponto de vista arquitetônico, não existem no Brasil. São dos USA ou Europa.








Comentários

Anônimo disse…
no amapá em quais lojas poderia comfiar ?
Anônimo disse…
Grande Loja Maçônica do Amapá
Av. Raimundo Álvares Costa, 340 - Macapá - AP, 68900-074
(96) 3222-2752 ‎
Anônimo disse…
Como faço para fazer parte desta familia tenho muita vontade, procuro por quem não conheço nenhum maçom. Meu telefone para contato 96-9135-8807. Roberto.
Cídio Lopes disse…
Olá Roberto.
escreva para o e-mail: contato@academiamaconicafilosofia.org.br para podermos conversar mais.
amf
Anônimo disse…
Será que as lojas maçônicas Evolução eterna, Justiça e verdade são regulares?
Até agora nunguem viu CNPJ e nada delas
Anônimo disse…
Boa Tarde
A loja maçonica "loja maçonica paulistana" na Barra Funda SP não é regular?
Pois tenho receio de não ser uma loja maçonica regular e cair em algum golpe.Apesar que fui chamado para uma reunião de filiação.

At.

ALN
Anônimo disse…
A GLOB é uma loja regular?
Anônimo disse…
Loja Maçonica Paulistana ....é confiavel ? qual é a Obdiencia dela ? A Glob ? Mas a Glob é Regular .
Anônimo disse…
Já escrevemos várias vezes sobre Regular e náo-regular.
Mas vai novamente. Todas essas Lojas são Legais. Não é contra a Lei Brasileira.

A discussão é outra. Existem Lojas que são históricas, ou seja, elas tem uma cadeia de sucessão que remonta a tempos mais longínquos. No qual a sucessão é sempre concedida a outra.

Nesse esquema tem três: GOSP/ Glesp e Gop.
As demais Lojas eu não conheço. Mas elas são consideradas não-históricas. Alguns maçons aloprados preferem chamar elas de "espurias", um adjetivo maudoso.
O que existe de fato é apenas isso. Grupos que discordaram do grupo histórico e montaram os seus.

O que eu vejo de fundamental nesses grupos é a forma de governo. Na histórica o Poder é partilhado; o que não implica perfeição.

O risco das demais experiências é ter o Poder exercido por apenas uma pessoa. O fundador geralmente. Isso dilapida a marca fundamental da Maçonaria que é a responsabilidade coletiva.

Mas não dá para falar se essa ou aquela Loja não pertencente ao grupo histórico é governada desse ou daquele jeito.

Temos que tomar cuidado, pois tem muita gente interessante se empenhando em trabalho sério. Não podemos "meter o dedo no teclado" enquanto pessoas estão fazendo reais esforços.


Para muito idiotas da internet a preocupação é se é Regular ou espuria. Não contribuem com nada esses profanos de aventais.

AMF
Anônimo disse…
Você foi convidado a fazer parte da Academia Maçônica Brasileira. Posso confiar? Recebi o convite por e-mail.
Anônimo disse…
rssss
Quanto vão lhe cobrar?
Em geral se entra em uma Loja Maçônica; qualquer outra coisa do tipo não é um a Loja.
GLESP
GOSP
GOP-SP
rogeriostefani disse…
Amigo , a melhor e segura forma de vc encontrar uma loja regular , é vc entrar no site oficial do G.O.B e selecionar sua cidade e verificar as lojas regulares. Cuidado pois existem potências que não tem tratados de amizade com o GOB , se vc se deparar com alguma que não tenha tratado de amizade fuja que é golpe.
Anônimo disse…
GLOB não existe mais.
Anônimo disse…
Toda potencia tem um custo que é para custear a joia e o processo de iniciação e sindicância, geralmente é 3 salários mínimos, esse valor ele é pago somente uma unica vez, porem todas as associações existe um custo mensal, como se fosse uma mensalidade, porém são valores acessíveis, geralmente não passam de R$300,00.
Anônimo disse…
Regular, irregular. Regular perante o que? Irregular perante o que?
Quem busca evolução como ser humano, busca primeiro conhecimento. Não se vangloriar de ser isso ou ser aquilo, deveria ser o primeiro passo do aprendizado.
Tenho grabdes amigos que fazem parte da chamada irregular e conheço muitos "picaretas" que se dizem "regulares".
Quem faz o que quer ser é o proprio homem. De qualquer lugar se tira aprendizado, basta termos isso como finalidade. O importante na vida é sermos Maçon, Templario, Rosacruz, ou qualquer outra escola, para nós mesmos. Não para outros verem ou disputarem supostas virtudes de certos ou errados. A grande e maior verdade do Universo, está dentro de cada um de nós.
Anônimo disse…
Concordo plenamente. Essa disputa em querer ser o mais correto, querer ser o melhor, querer ser único, só nos faz ver o quanto todos somos falhos. Via de regra, hoje, essas ordens todas, sem excessões, se tornaram "troféus", onde cada um quer ostentar mais que o outro. Para ser bom, ser melhor como ser humano, basta querer. nenhuma "ordem" vai mudar o que não presta e nem estragar quem é bom.
Cídio Lopes disse…
A dureza é que o fundamental, que é se transformar, fica de lado.
Unknown disse…
ola bom dia loja site www.macompaulista.com.br e uma loja reconhecida
Cídio Lopes disse…
http://glesp.org.br/
http://www.gop-sp.org.br/
http://www.gosp.org.br/

Procure num dos três sites saber; eu não saberia lhe dizer.
Anônimo disse…
O que é melhor a Maçonaria Independente, ou a Maçonaria Reconhecia? Quem é dono da Maçonaria?
A resposta é muito simples, olhemos para a instituição e seus valores, existem tipos de pessoas boas e ruins em ambas, temos Irmãos excelentes na Maçonaria Independente e ótimos Irmãos nas Potência Reconhecida, mas existem os dirigentes que estão em ambas destruindo tudo o que é Justo, enriquecendo ilicitamente, usando Associações sem fins lucrativos para burlar a lei, iniciando pessoas na Ordem como se fossem gado, posso citar diversos nomes como Fábio Caparelli, Dennys Fernando Ramos, Ricardo Ramos, João Belchior, Paulo Compri, Paulo Carneiro, Samuel Mineiro da Trindade e Bianca Moreira da Silva, esses dois últimos presos na operação Castelo de Areia em Campo Largo, fundadores da Grande Loja Mista do Rito Memphis-Misraim e com o passar do tempo estes outros citados anteriormente também o serão, pois não passam de estelionatários, assim como acredito no trabalho de filantropia que homens bons, inteligentes e de bons costumes partilharão de interesses maiores excluindo a vergonha que estes hoje nos fazem passar, teremos em breve uma União das Lojas em prol de um bem maior.
Cídio Lopes disse…
Muito boa ideia. é por aí mesmo.
Anônimo disse…
Querido Anonymous, reveja seus conceitos ao sitar nomes em seus comentários, conheço alguns citados e não condizem com seu parecer.
Abraços
Anônimo disse…
EM SÃO PAULO SÓ EXISTEM TRÊS (03) POTENCIAS REGULARES AS QUAIS SÃO GOP, GLESP, GOSP/ GOB. AS LOJAS QUE NÃO FAZEM PARTE DESTAS TRÊS POTENCIAS SÃO IRREGULARES OU SEJA LOJAS CONSIDERADAS ESPÚRIAS.
Anônimo disse…
ACADEMIA MAÇONICA DE FILOSOFIA, IRREGULAR. NÃO TEM NENHUM VINCULO AO GRANDE ORIENTE DO BRASIL GOB.
Cídio Lopes disse…
"citar" e não "sitar". No mais, de fato, temos que ter cuidado em imputar às pessoas coisas, mesmo que sejam condutas totalmente Legais perante as Leis do Brasil. Com o "tiroteio" da internet; temos que nos esmerar antes de acusar pessoas. Como dizia o sábio Rumi, fundador dos Sufis lá na cidade de Konia na Turquia, "que eu seja um sol sobre as qualidades dos outros e uma montanha a projetar sombra sobre suas limitações". A ideia não exata assim; pois receio que encobrir certos defeitos seja compactuar com eles, mas a de ser sol sobre as qualidades; essa parte me parece interessante.
Cídio Lopes disse…
Caro Anônimo do dia 20 de março de 2018; Não temos vínculos não só com o GOB, mas com ninguém. Se o estimado cultor dos assuntos maçônicos ficar atento ao nosso blog/site logo verá que se trata de um projeto de filosofia; nada a mais. O e-mail acima foi no sentido de orientar melhor as pessoas; Ademais, sou Prof. Cídio Lopes, professor de filosofia, graduado e mestre, e tenho nesse projeto a ideia de uma filosofia prática; de exercícios filosóficos. Por fim, https://www.xxviidesetembro.com/historia dê uma olhada no link.
Cídio Lopes disse…
O que faz uma Academia Maçônica de Filosofia?



É comum em solo brasileiro a fundação de sociedades culturais com nomes pomposos. Com freqüência encontramos as Academias de Letras e associações culturais. O que caracteriza, grosso modo, essas iniciativas? Quais as motivações delas? Há um propósito aparente e outro por detrás?


Poderíamos aqui investigar essas iniciativas do ponto de vista da antropologia para podermos compreender o que leva à fundação destas associações culturais. Nessa senda poderíamos certificar se há algo de peculiar nestas associações e o fato de sermos um País "colônia" ou de cultura Latina. No presente texto, porém, vamos falar apenas do que a Academia Maçônica de Filosofia pretende ser.

Alguém pode dizer que já fizemos isso em outro texto. Nossa contra-argumentação é que dizer sobre algo várias vezes, procurando não repetir as digressões, pode ser um modo de aperfeiçoar as idéias e práticas. Feito nosso breve corolário, vamos à questão.

A Academia Maçônica de Filosofia procura se distinguir de outras práticas no seio maçônico no que toca a várias coisas.

Primeiro ela não pretende ser um grupo formal, com Rituais Regulares, dentro do seio de uma Potência Maçônica. Esta postura tem por objetivo duas visadas. Primeiro por compreender que corre-se o risco de sobrepor atividades maçônicas com a criação de mais rituais aos já existentes. Neste sentido, não ser uma prática com um ritual é para valorizar o que já existe no seio da Maçonaria. A seção da Loja deve ocupar seu lugar e sua profundidade. Se por ventura os irmãos não estejam sentido isto nas seções o que se deve fazer é procurar renovar o que há e não criar uma outra coisa, que geralmente não resolve o "problema", mas apenas multiplica. Os Rituais praticado nas Potências já são eficientes e as variações de Rito já dão resposta a multiplicidade de gosto muito salutar no seio da Maçonaria.

Outra visada da Academia Maçônica de Filosofia em não ser uma Loja é por compreender que o rigor necessário para a existência de uma Loja Maçônica, que toma tempo e dedicação profissional dos Irmãos da Loja, não deve ser multiplicado sob duas penas: primeiro por total desordem dos obreiros em manter em dia os documentos e procedimentos junto à Potência. Depois, o esforço empreendido em manter tudo em ordem toma muito tempo dos irmãos. Quanto mais Lojas mais procedimentos, o que não resta tempo para outras atividades da Maçonaria, como a filantropia e os estudos.

Cídio Lopes disse…


Outra visada (...)
Alguém, sobretudo os violentos "orkuteiros"(de Orkut) que são apressados, pode dizer: "Ele não reconhece a Potência como digna representante", mas a reflexão não é por aí. Ao contrário, é para dar valor e sentido a Potência que defendemos a não multiplicação de Academias e rituais. Os processos e procedimentos, que podem até ser pensados em modos mais eficientes, mas não extintos, são necessários para se manter de fato uma confraria. O filósofo Nietzsche, a esse propósito, tecia duras criticas à pressa moderna. Para o alemão, os modernos não mais consegue fazer uma leitura dos clássicos, pois tem pressa, preferem ler os resumos dos jornais. Os processos da Ordem maçônica é exatamente para fazer com que as coisas não virem confraria da "carochinha" ou coisa de lunáticos. A burocracia neste sentido é necessária; não ter pressa é o caminho certo.

A "ordem" que a Ordem Maçônica procura cuidar em geral gera vida. A "ordem", sobretudo aquela apregoada por governos de exceção, pode gerar outras coisas, pois se trata de uma ordem que beneficia a poucos. Mas não podemos deixar de afirmar que se há uma ordem que não gera vida, certamente na desordem não temos opção. A desordem na família ou na sociedade não deixa opção e nos impõe a tristeza e ausência de vida. Neste sentido, é válido o cuidado da Potência para com os procedimentos em Loja. Porém, a própria Ordem incentiva que as Lojas promovam atividades culturais e filantrópicas e é nesse contexto que nos vemos contemplados e somando esforços.

Assim é que se situa a Academia Maçônica de Filosofia. Um instrumento que não tem como foco os processos da Potência. O que ela puder se eximir disso o fará, pois os procedimentos da Loja já cumprem este papel. Cabe a nós a atividade de leitura, produção de resenhas, produção de artigos filosóficos(científicos) e formação humana, entre outras atividades.

Este serviço cultural anda extinto. Temos noticias, segundo Nicola Aslan, que uma Academia tem por objetivo não os rituais, mas a produção de substrato teórico sobre história, filosofia, sociologia, economia maçônica. Outro esforço, notado por nós, é da Editora "A Trolha Maçônica" em publicar "A maçonaria na universidade".

Academia Maçônica de Filosofia se concentra na produção teórica. Expressão, produção teórica, tão mal vista entre nós brasileiros. Teoria que é sempre posta em suspenso como sendo algo menor e desnecessária, preterindo a tão famigerada "prática".

A Academia Maçônica de Filosofia não está preocupada com um estatuto. Esta prática, notada por nós entre os tais Institutos para-maçônicos, revela já de imediato que tal empreitada será estéril no que toca à produção de conhecimento. Todo o rigor necessário para tal fazer já advém da Loja dos Irmãos participantes.

Também não se tem receio de ser copiada a Idéia. Aliás, felicitaríamos se houvesse uma cópia da Academia Maçônica de Filosofia. Pois o grande público maçônico não estuda, os poucos que lêem, não sabem ler Filosofia e estão mais habituados com os processos jurídicos (os advogados). Fazendo confusão com esse labor técnico e com a Filosofia.

Para os que lêem filosofia, e desejamos nos somar a esses, nossa proposta será compreendida e somaremos esforços em colocar em marcha o que há de mais motivador na Ordem: Filosofia.

A Academia Maçônica de Filosofia, portanto, se define e põe enquanto uma prática modesta de alguns Maçons. A prova de sua existência é a produção teórica, palestras de filosofia, história maçônica, etc.

Suas atividades se dividem, a exemplo da Academia de Platão, entre outras da Grécia Clássica, em esotérica e exotérica. Uma voltada a maçons regulares, outra às pessoas em geral interessadas em Filosofia.

Nas atividades externas, pretende-se também informar ao público em geral o que é Maçonaria, pois assiste-se uma gama de difamações e distorções vulgares e que beira a xenofobia multiplicando-se a cada dia na mídia.

Academia Maçônica de Filosofia

Or.'. de São Paulo

Unknown disse…
Boa noite ,ao ser convidado e normal a pessoa cobrar pela entrevista?
Cídio Lopes disse…
Não. Em Lojas Históricas se conversa com a pessoa numa boa. No geral, se procura conhecer a pessoal bem, pois ela passará a ser muito próximo ao grupo; é natural esse investigação. Mas cobrar.. já me parece algo para espantar curioso mesmo. rss
Unknown disse…
Vou fazer uma entrevista no próximo dia 02 de setembro, na avenida paulista, 2026 8 andar, sala 86.
O Mestre maçom disse que eu pagaria 100 reais, caso eu preenchece o formulário quê era uma taxa de sindicância, isso procede?
Cídio Lopes disse…
Estranho caro anônimo. Muito estranho. Não me lembro de endereços maçônicos na paulista, mas é certo que não se cobra sindicância. Escreva-me para meu e-mail. bloggeradmin@amf3.org para eu poder lhe orientar. Sem lhe cobrar nada.

Postagens mais visitadas deste blog

Instrução de Companheiro Maçom

O nada e o tudo: a internet