ghost writer: puta da escrita!

Escritor fantasma nada mais é do que um tipo de prostituição? Ora, escrever para o outro e ele encampar como autor seria o quê?

Por mais delicado que alguns tentam apresentar a profissão, dizendo que se destina a pessoas "qualificadas", mas sem tempo ou jeito para escrever, etc... Não vejo outra explicação possível para tal feito se não algo semelhante à prostituição; onde você vende para alguém o direito de "usar" seu corpo, uma parte dele, por um determinado tempo. No caso da puta(o) tradicionais sãos os orifícios ou saliências. No caso do ghost writer é o cérebro mesmo você "aluga" para alguém usar "como se" fosse dele.

Enfim, podem argumentar, mas tal atividade é prostituição.

Ps.
Nesse blog seria eu mesmo ou um ghost? 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O nada e o tudo: a internet

Instrução de Companheiro Maçom