Torturador Maurício Lopes Lima é alvo de protesto




http://3.bp.blogspot.com/-J0GyoPGQ0QA/T7GAVPL03nI/AAAAAAAAn1I/SDtMshT7y7g/s1600/tortura+dilma1.jpg






O movimento social Levante Popular da Juventude protestou nesta segunda-feira 14 em frente à casa de Mauricio Lopes Lima, acusado de torturar a presidenta Dilma Rousseff durante a ditadura.
Aproximadamente 60 pessoas estiveram em frente ao prédio do ex-agente da repressão, na Praia das Astúrias, no Guarujá, litoral paulista.
Segundo os organizadores do movimento, o objetivo é expor os torturadores à sociedade brasileira. “Nas panfletagens, a gente vê o espanto dos vizinhos, das pessoas que trabalham no comércio. Porque geralmente são figuras que moram no bairro já algum tempo e têm essa história oculta; A gente vai expondo de fato quem são estes ‘bons velhinhos’”, diz Edson Magalhães Rocha, porta-voz do movimento.
Dilma, que era uma das líderes da organização VAR-Palmares, foi presa em 16 de janeiro de 1970. Ela foi brutalmente torturada e seviciada, submetida a choques e pau-de-arara durante 22 dias. No depoimento à Justiça Militar, em Juiz de Fora, cinco meses depois de ser presa, ela deu detalhes da tortura no Dops.
“Era a coisa mais corriqueira que tinha”, disse o ex-agente em entrevista ao portal iG, em 2010. Na ocasião, ele admitiu ter tido contato com a futura presidenta eleita, mas negou a tortura. Segundo ele, na época não podia sequer imaginar que a veria na Presidência. “Se soubesse naquela época que ela seria presidenta teria pedido: ‘Anota meu nome aí. Eu sou bonzinho.’”
O ato desta segunda-feira, realizado debaixo de chuva, durou cerca de uma hora (entre 10h e 11h). Durante o protesto, vizinhos desceram, aparentemente assustados, para ver o que acontecia. Funcionários contaram que Lopes Lima estava no local – mas ele nem sequer foi visto na janela. A reportagem tentou fazer contato com ele pelo interfone, mas não foi atendida.
Os jovens cantavam músicas com refrãos como “A ditadura já acabou/Quero saber que militar que torturou”. Também estenderam faixas e picharam a calçada com frases que avisavam aos transeuntes quem morava no local.
Informações adicionais:
Maurício Lopes Lima Tel: (13) 3355-4448
Rua Tereza Moura, 36 ap 23
Guarujá - SP - CEP: 11420-420
by http://contextolivre.blogspot.fr/












Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Elle

Instrução de Companheiro Maçom

10 motivos para você não ser maçom