Terceira Instrução do Aprendiz Maçom




 A Terceira Instrução do Aprendiz Maçom no Rito Escocês Antigo e Aceito (REEA) é um momento de profunda reflexão sobre conceitos essenciais da maçonaria. Nesta etapa, o Aprendiz é introduzido a temas como o Grande Arquiteto do Universo, a liberdade humana, a recepção do profano despojado de metais, a privação dos sentidos e a luz como metáfora da razão.

O Grande Arquiteto do Universo é uma referência simbólica que representa a força criadora por trás do universo. Durante a Terceira Instrução, o Aprendiz Maçom é convidado a contemplar a existência desse poder superior e a reconhecer a importância da conexão espiritual em sua jornada maçônica.

A liberdade humana também é abordada nesta instrução. O Aprendiz é levado a refletir sobre o significado e o valor da liberdade individual, entendendo que a maçonaria busca promover a liberdade de pensamento, expressão e ação dentro de um quadro ético e moral.

A recepção do profano despojado de metais é um ritual simbólico que representa a humildade e a disposição do indivíduo em se despir de seus valores materiais e egocêntricos. É um momento de renovação, no qual o Aprendiz é convidado a deixar para trás os aspectos mais superficiais de sua vida e se abrir para o aprendizado e o crescimento interior.

A privação dos sentidos é uma prática adotada durante a Terceira Instrução, na qual o Aprendiz experimenta um estado de privação sensorial temporária. Essa experiência tem como objetivo estimular a reflexão interior e a busca pela verdade além das aparências externas, incentivando o desenvolvimento da percepção interior.

A luz, como metáfora da razão, desempenha um papel fundamental na Terceira Instrução. O Aprendiz é convidado a compreender a importância da razão e do conhecimento na busca pela sabedoria. Assim como a luz ilumina o ambiente, a razão ilumina a mente e permite ao Aprendiz discernir entre a verdade e a ilusão.

A Terceira Instrução do Aprendiz Maçom no REEA proporciona um aprofundamento nos aspectos simbólicos e filosóficos da maçonaria. Por meio da reflexão sobre o Grande Arquiteto do Universo, a liberdade humana, a recepção do profano despojado de metais, a privação dos sentidos e a luz como metáfora da razão, o Aprendiz é conduzido em sua jornada rumo à compreensão mais profunda de si mesmo, dos princípios maçônicos e do mundo ao seu redor.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Aula gratuita de Filosofia!

Saber versus inveja

Raskolnikov me persegue